11/04/2013

3º dia (11/04/13) - Zubiri X Pamplona

Resumo da Etapa



Zubiri

Zubiri, é uma cidade pequena... poucas opções para o jantar, optei por ficar em um albergue particular (El Palo de Avelano)... com o passar do dia, os demais se distanciaram... segui eu e Yvonne em, passos controlados, entre as dores que começam a surgir. Ao entrar na cidade nos deparamos com o Albergue municipal (que não nos motiva), e ao aguardar pela decisão avistamos Jenifer e Markus, que nos indicaram o albergue particular, e por isso ficamos.



É o segundo dia...  tudo é novidade e nos encanta, depois de instalados e das providências iniciais de peregrino terem sido tomadas, saímos e encontramos um bar, onde mais pessoas se juntam ao grupo. Iniciei aqui minha tarefa de "interface" entre espanhol e "paupérrimo" inglês, ao ajudar esses amigos a diferenciar os pratos (carne de frango, vegetariano de carnívoro). Pelo segundo dia deu pra notar que cada dia irá ser uma festa, como uma confraternização. O Caminho até aqui foi complicado e escorregadio, e doloroso por exigir de pernas que nunca haviam caminhado tanto (entre 15 e 20km), más também belo e cheio de surpresas. Do alto do morro se avista-se a cidade... e essa visão se tornaria uma de nossas preferidas a cada dia, por traduzir uma pausa, descanso para nos recompormos.



"Arte Peregrina" na saída de Zubiri
A ARTE PEREGRINA, começa a surgir... havia ouvido a respeito más ainda não tinha encontrado nenhuma. Peregrino ADORA empilhar pedras e fazer cruzes com galho de árvores e muitos passam ainda sem notar ou contribuir, com oessa foi a primeira com que me deparei, resolvi também contribuir. Achei interessante e expliquei a Yvonne oque significava, e ela também depositou a dela em memória a alguém querido por ela (percebi as lágrimas)....



Ponto de apoio



Já foi possível notar a presença do "comércio" no caminho... estamos em meio a uma das piores crises financeiras na Europa, mais tarde saberia que inclusive muitos peregrinos estão no Caminho em função disso. Os espanhóis se ajeitam e tentam sobreviver, além dos estrangeiros que foram seduzidos e abduzidos pelo Caminho. Alguns vivem disso e nos ajudam com pontos de apoio como este, no meio do nada, e que muito nos encorajam.





Trilha na Lama
depois de uma agradável pausa com Yvonne nesse "ponto de apoio", onde depois de 04 dias longe de casa, pude matar um pouco da saudade ao  me deparar com um GUARANÁ ANTARTICA , estupidamente gelado,através de um gentil ex-peregrino que nos antendeu, nos  deparamos com a grande LADEIRA que nos leva a entrada de ZUBIRI).


Mais um dia que se encerra...  20km,  feitos em terreno irregular com bastante lama...  (é o pior terreno para se caminhar), pois se equilibrar com a mochila e as dores que começam exigem muito... Más se o intuito fosse DESCANSO e TRANQUILIDADE certamente o destino teria sido outro... VAMOS ADIANTE, pq a cada passo dado queremos andar mais e mais... a cada curva uma surpresa a cada passo uma nova paisagem, simplesmente inexplicável essa sensação
 


Ponte Medieval
A saudade de casa começa a aparecer, ainda nem me dei conta como consegui PARAR TUDO, e sair para essa "pausa", ainda sem o perfeito entendimento de todos em casa, procuro por tranquilizá-los, a maioria aqui também deixaram alguém em algum lugar...  então a chegada ao albergue ainda é uma verdadeira procura de meios para para envio de notícias. 


Campos me impressionaram pelo tom de amarelo
Saímos pelas 8:00h de Zubiri,  tendo como meta chegar a Pamplona passamos pela área industrial de Zubiri, e logo os belos campos de CANOLA estariam de volta aos nosso olhos. Conseguimos chegar em Pamplona no final da tarde, percebemos que  é  uma cidade Grande,  com trânsito e muitos que saem para seu dia de trabalho. Alguns cumprimentam,  outros são sizudos e  fechados, com nas grandes cidades. Nos perguntam de onde somos, e ouve-se com frequência o "BUEN CAMINO".








Fazia tempo que eu não via com os olhos "Cartões Postais"

Pamplona - Monumento de homenagem aos que se aventuram na festa de SAN FERMIN

E aos poucos a paisagem vai se transformando, e quando no deparamos já estamos dentro de uma grande cidade. Assim é Pamplona.



Plaza de Touros

É aqui que ocorre a festa de San Fermim (corrida de touros)... a cidade pára enquanto isso, e até os albergues fecham. Acredito que peregrinos nem conseguem parar por aqui nessa época. 
Saímos ainda "DIA" para jantar e na formosa PRAÇA de PAMPLONA encontramos um "PUB" (isso mesmo)... e após alguns tragos todos participativos saímos pra jantar...







Menú del Peregrino em Pamplona

"Pamplona ao anoitecer"


Albergue albergue-casa-paderborn
                                                              
Ao chegar em PAMPLONA, segui indicações de Allan, e escolhemos ficar no Albergue Casa Paderbom, reduto Alemão com hospitaleiros "nativos" (rs), comunicação possível atendimento nota 10, tudo que precisamos... ducha caliente, café da manhã tratamento que me faz indicar esse albergue. Chegando em Pamplona, na praça pegue a esquerda e siga as placas, vale a pena.

Pirineus ainda com muita neve


Esse amarelo são flores de CANOLA, é são de encher os olhos

Jardim em uma praça no caminho para Pamplona