25/04/2013

17º dia ( 25/04/13 ) - Terradillo de Los Templários X Bercianos Del Real Camino

Resumo da Etapa



Chegamos em Terradillo de Los Templários, por volta de umas 15:00Hs, debaixo de um SOL digno de "verão"... Passamos pelo primeiro albergue (ainda na rodovia), e optamos pelo que fica dentro do próprio vilarejo. Como já relatei anteriormente, este com um pequeno gramado e um bar que atendia de forma incessante aos peregrinos até que o horário da "cena" chegasse. Bem, nessas horas que comecei a prestar mais atenção ao que ocorria de fato nesses momentos; peregrinos exaustos recarregavam suas energias em bares e restaurantes, abriam-se nesses momentos verdadeiras "rodas" de bate papo que ultrapassava fronteiras... e após uns tragos aqui e ali, você se deparava em forte conversa como se amigos de longa data fossem, e esse é uma das traduções quanto ao significado daquilo que vivemos...  . Bem, não preciso descrever a sensação... conversávamos durante a tarde toda e só parávamos cerca de uma hora antes da cena... para o banho e demais tarefas.

Nessa parada mantive contato com meu futuro grande amigo Alan (Canadá), que apesar de dividirmos alguns dias de caminhada, somente aqui paramos para conversar de fato... Nossa, foram bem algumas horas de bate papo que certamente nos valeriam os próximos 3 dias de caminhada...  Após algumas "Estrelas Galícia", hora da tão esperada "janta", e tivemos batatas com carne... isso mesmo, muito mais batatas que carne... (não tive boas experiências com carne no Caminho, exceto o Hamburguer de SAMOS, mais adiante detalho...), apesar do albergue ser muito bom, a mesma proporção não se aplicara ao restaurante (o MENU daquele dia pelo menos). Era dia de jogo Liga dos Campeões, sei que era uma noite alemã de futebol (Bayern de Munique X Borussia Dortmund), gritaria deles foi até tarde...

Amanhecer no Caminho, rumo a Bercianos
Dia Seguinte chega... o amanhecer já nos anuncia como será o nosso dia... um CÉU que nos trazia uma LUA que foi confundida com o "SOL", gerou por um momento uma leve confusão com um casal de Koreanos, que tiveram a impressão de estarmos indo na direção errada... (depois disse a ele que se tratava da LUA e não do SOL)... e partimos...  

Parte de nosso grupo, gostava de se orientar pelo GUIA AMERICANO, e outra pelo GUIA ALEMÃO... e alí lemos que o "autor" indicava o CAMINHO pela calçada romana... confesso que foi a primeira vez em que comecei a prestar atenção quanto a essas VARIANTES do Caminho... e optei em ser TURRÃO e seguir o CAMINHO REAL (ao menos em minha cabeça), e segui com eles andando até um ponto em que seria dessa tal bifurcação. Ao chegar a este ponto disse aos meus amigos (Yvonne, Cher, Markus e Jennifer), que seguiria pelo caminho REAL e após certo desapontamento segui, não antes de me deparar com meu amigo ALAN, que lanchava em um ponto de ônibus antes de adentrar novamente na trilha que margeava a "carretera"... (esse foi um dos motivos dos demais terem optado pelo outro "tramo").


Ponte Medieval, após Terradillo rumo a Bercianos
E de cima da mesma ponte o cenário muda
Seguimos andando debaixo de um céu azul como nunca, e muito SOL, pela planície da Meseta... hora conversando, hora calado... más em nosso ritmo, e assim seguimos durante todo o dia. Por vezes encontrei Paulo e Sergio, que também optaram por esta rota e assim fomos... Trilha "perigosa" (sem água")... muito importante ter água com vc. aqui me arrependi de não ter carregado mais que o normal (embora sempre tivesse 1,5l comigo), havia nesse dia enchido apenas a garrafa de metal, com o passar dos dias aquilo que falam constatamos como REAL, e percebi que água também pesa... e por vezes resolvia "sacrificar" um pouco a sede e abrir mão desse bem tão precioso. Más ali nas Mesetas, isso pode ser um erro... algumas fontes não continham ÁGUA, outras sinalizadas como impróprias e não resolvi arriscar. Não temos NADA no caminho até Bercianos... os bares começam a ficar escassos e quando os encontramos alguns estão fechados.

Monumentos no Caminho

Ao evoluirmos em nossa CAMINHADA, definimos o objetivo de chegarmos a BERCIANOS... e assim seguimos... muito pó, estrada e sol na cabeça, más bom demais pra se queixar... e lentamente fomos caminhando em meio aquela paisagem monótona, más ao mesmo tempo agradável. E chegamos em BERCIANOS... sabia que nessa cidade havia um dos albergues rústicos que gostaria de conhecer, más ALAN que vinha comigo havia coletado uma "deixa" de um peregrino quanto a uma OUTRA OPÇÃO na cidade, um tal de ALBERGUE SANTA CLARA ( albergue-santa-clara-de-bercianos )que não existia em guia nenhum, exceto nas marcações feitas por tinta SPRAY no asfalto. Como estávamos em parceria durante o dia todo, resolvi não desapontá-lo e seguimos as indicações (setas verdes)... e chegamos a uma casa que aparentava estar em reforma. Ao fundo um prédio pequeno de uns dois andares se erguia no mesmo quintal... e um pequeno jardim, onde ao pararmos em frente, fomos indagados pelo morador...

_ Albergue ?respondemos:
_ Sí, pro favor, és aqui que fica Albergue Santa Clara ?
E ele gentilmente respondeu:
_ Sí, és aqui mesmo, fiquem à vontade...


Um jardim bem cuidado que nos chama a atenção

E procuramos uma forma de ficarmos à vontade, pois tivemos a impressão de estarmos na casa do nobre sr, e se tratava mesmo de uma oportunidade diferente, de ficarmos em uma CASA DE ACOLHIDA, se refere a hospitaleiros que cedem PARTE ou a própria residência quem que vivem... Confesso que até ao perceber o tipo de acolhida e ser apresentado ao nosso aposento, notei que alguns peregrinos desistiram de ali ficar. eram dois quartos com 2 beliches em cada um deles, camas FORRADAS , estranho desde que saí de casa há 18 dias atrás que não me deparava com uma cama em tal condição, eis que que adentra ao recinto a Hospitaleira "ROSA"  carregando cobertores e toalhas "brancas" de banho, nos dando as BOAS VINDAS, que se alí escolhemos ficar o tratamento seria como se hóspedes fossemos de verdade, que só dormiríamos em nossos "sleep bags" se assim fosse nossa escolha, pois ela nos trouxera ROUPA DE CAMA e TOALHAS LIMPAS. 

Amigos, parei aqui...  Esse tratamento nos mostrou TODA a diferença que ainda existe no Caminho... Não apenas um bar, ou um local para arrecadação de nossos "EUROS", más sim um local onde a preocupação com o PEREGRINO existe. Talvez, pelo fato de nossa hospitaleira e seu companheiro "SANTIAGO", também serem peregrinos, más acredito que não seja apenas por essa razão mas todo o tratamento aqui nos dado foi simplesmente o MELHOR que recebi em todo o caminho. Eles estão trabalhando em construir um ALBERGUE MAIOR, (daí a construção ao fundo), más que não irá substituir o tratamento anterior... tivemos uma mesa posta com pães e RABANADAS, feitas por ela, além de uma tarde muito agradável de bate papo. 

Olha o café da Manhã !!!
Após nosso retorno do jantar (optamos por ir ao restaurante ao invés de fazer uso da cozinha que nos foi colocada a disposição), nos deparamos com o casal de franceses, que estão caminhando já à 3 meses (desde Le Puy), além de mais um alemão que não fala inglês... alí então repousamos, e de fato DESCANSAMOS após uma bela e verdadeira DUCHA. Ao combinarmos o nosso horário, tentei forçar a ela que sairíamos cedo (antes das 7:00h), más ela de forma unilateral disse que SEM CAFÉ NINGUÉM SAIRIA de seu albergue. Tratei de me conter e até ajudar a arrumar a mesa no dia seguinte... e que mesa... nossa até agora o cheiro dos pães me vem a memória. Tivemos ali o MELHOR DE TODOS OS TRATAMENTOS que poderiam nos ter dado. Confesso que este é mais um ponto onde "QUERO PODER VOLTAR UM DIA". Fazem TUDO isso apenas por donativos... não tive COMO  não reconhecer e alí deixar TODOS EUROS que eu poderia desprender naquele dia, como forma de recompensa por tudo que recebi.




Presente recebido

Antes de nossa despedida, notei que "SANTIAGO" percebera o TOCO de madeira que eu trazia como CAJADO (depois que perdi o meu em GRANON), ele disse que era pesado demais e não serviria pra nada além de me cansar, e saiu de cena, voltando depois de umas DUAS HORAS com um novo CAJADO, feito por ele naquele dia... um outro galho de árvore o qual ele escrevera "ALBERGUE SANTA CLARA - BERCIANOS".

Terminei meu caminho com este presente, e hoje parte dele repousa atrás de minha porta, como sendo uma "PONTE" entre pare de tudo que vivi e meu mundo real, sabendo que após a "abertura" que minha mente sofreu, dificilmente veria a vida da mesma forma que antes, ou pelo menos que fecharia o olhos para tudo de diferente que podemos viver em nossas vidas.

Bem, e assim ficamos e nos despedimos de BERCIANOS, certos quanto a vontade de alí retornar. Obrigado ROSA, e SANTIAGO... que nosso DEUS continue a iluminar a vida de vocês dois no acolhimento aos Peregrinos.

EM BERCIANOS... não deixem de visitar... aqui SIM, vive-se o espirito Peregrino de uma forma diferente.


Nosso "visitante" ao dividir os preparativos para nossa CENA


Refresco às merecidas