22/04/2013

14º dia ( 22/04/13 ) - Hontanas X Boadilla Del Camino

Resumo da Etapa



Albergue em Hontanas, cheguei no final do dia... um dos últimos a tomar banho, resultado água quase fria... más fazer oque... melhor que nada. O albergue escolhido foi o El Puntido (albergue-el-puntido), havia o municipal um pouco mais abaixo más escolhi este por ter internet e conseguir usar o VOIP (valeu Michel), pra falar com todos de lá de casa. A Internet na Espanha é fácilde se encontrar e em quase todos estabelecimentos está à disposição dos clientes, não seria diferente nos albergues (particulares em sua maioria), e todos buscam uma forma de dar um alô a seus parentes queridos.


Albergue El Puntido - Hontanas
 Como cheguei depois da 17:00hs, peguei a cama que tinha sobrado e como falei uma água quase fria... más hoje vejo que tudo bem, pois se ali estamos temos que estar preparados para aquilo que o Caminho nos oferece. Não ficaremos sem ser acolhidos e com fome, o luxo e conforto é algo que deixamos pra trás, em nossas casas e alí estávamos por outros propósitos. Não acho que vale recomendar que não demorem muito a darem entrada no Albergue,  para evitarem esses contra-tempos...  O Caminho é de cada um e dessa forma toda e qualquer experiência precisa ser vivida. Hoje valorizo cada passo e cada minuto em que deixei de estar em um albergue para de fato estar no CAMINHO... Minha decisão foi de caminhar mais 6km's além de meus amigos, pois precisava de um lugar de onde pudesse matar a saudade de casa e falar com todos e assim foi muito bom.

No albergue dividi a mesa com Sergio, Paulo e Alan, tomamos cervejas e provei ORUJO (caramba, muito forte)... serviu pra aquecer a alma naquela tarde fria que anunciava outra noite gelada pela frente. Após, cama...  esperar pela manhã seguinte, havia combinado com meus amigos que os esperaria na entrada da cidade e assim ocorreu.. por volta das 7:00Hs da manhã, lá vem eles felizes como sempre ladeira abaixo.


Todos reunidos novamente e seguindo rumo a Boadilla


O caminho para Boadilla Del Camino, margeou diferentes paisagens,  mas diferentes das que tivemos na Navarra...  ainda prevalecem os vinhedos,  hoje secos devido a colheita e poda,  mas já com a força da primavera já conseguimos notar os novos brotos da próxima safra, e também ao passar pro Frómista a apresentação a aquela que seria também muito aguardada o início das MESETAS (grandes planícies, que nos dão a impressão de caminhar rumo ao infinito). considerada por muitos como "prova", por outros como a melhor de todas as etapas, aquela que o convida a introspecção e convite a superar limites. Acredito que por aqui alguns devem desistir, principalmente no verão pois o desgaste físico é grande assim como o psicológico. Aqui registrei ao VIVO e com todas as cores um dos símbolos do Caminho para mim, que aprendi se chama "Alto de Mostelares", que após um grande "degrau" que precisa ser superado se chega ao alto com uma visão da planície à ser vencida naquela etapa... ABSOLUTAMENTE INDESCRITÍVEL.



Atrás, subida para o Alto de Mostelares (início das Mesetas)

Esse é o início da "escalada"
Após a grande subida, Cher e Markus na sequência

A visão da descida, rumo ao que batizei de "infinito" uma das imagens que sempre valorizei no caminho de OUTROS PEREGRINOS, dessa vez retratada pelos meus próprios olhos...


após a grande descida, a sensação de se caminhar rumo ao infinito persiste, fazendo com que a sensação fosse única.

Geralmente quem chega primeiro, caba esperando pelos demais...

Iniciam-se de fatos as "retas" (Mesetas)
Ruínas do convento de San Antón - Castrojeriz (aqui existe um albergue à ser conhecido na próxima)

Ramón, em um de seus momentos de ALEGRIA MATINAL

Um caminho muito bom de ser feito nessa época,  muito frio de manhã,  mas com temperatura amena durante a manhã e a tarde...  pela noite despenca,  fazendo com que antes das 22:00hs, a maioria já esteja dentro de seus "sleeps bags", se escondendo do frio e tentando dormir antes da sinfonia de roncos... (pra quem não consegue dormir,  esse será um problema).

Bem,  durante a caminhada geralmente acabamos por nos distanciar, e fazemos o Caminho de forma solitária,  o pensamento é  seu companheiro...  conversa-se com vc mesmo,  debatem-se idéias, visita-se as lembranças, lugares fatos também quando se caminha...  enfim, tudo que seus pensamentos permitirem, pois estão a frente e com maior velocidade...   os meus pensamentos dessa vez me levaram a minha infância e a do meus filhos...  Deus, como os amo...


 Cheguei em Boadilla,  e encontrei o restante do grupo procurando albergue (havíamos nos separado um pueblo antes)...  o melhor estava lotado (outro incoveniente de se chegar tarde),  nos ofereceram camas no chão (pelos mesmos 15 Euros de quem consegue uma cama), isso não foi legal e o jeito foi recorrer ao municipal...  limpo,  pequeno,  mas com banho frio (definitivamente GELADO), más o BAR MAIS BARATO de todo Caminho (taça de vinho da 0,50 Centavos de Euro), uma maravilha... ao lado do Albergue... compensou o banho frio